sábado, 19 de setembro de 2020

As filhas do capitão - Maria Dueñas.

 As filhas do Capitão é um romance escrito por Maria Dueñas, escritora contemporânea da lingua espanhola. 

Maria Dueñas, nesta publicação de leitura fácil narra a história dos desafios encontrados pela família Arenas. Emigrantes espanhóis que buscam melhores dias na América, mais especificamente em Nova York dos anos 30. Muitos desafios, muitos desencontros, muita ilusão, muitas desilusões.Uma narrativa detalhada em mais uma homenagem a mulheres fortes desafiadas pelos sonhos. 

 

sábado, 6 de junho de 2020

Mulherzinhas - Louisa Amy Alcott.


Nasceu na Filadélfia - EEUU - 1832 - dedicada à literatura infantojuvenil.
Primeira mulher a registrar-se como eleitora em sua região.

"Mulherzinhas" foi escrito em 1868, é autobiográfico, e retrata fatos vivenciados pela autora de uma forma a ressaltar os valores de uma boa educação baseada em valores morais, amor à família, amor conjugal,solidariedade, sonhos, e o enfrentamento de situações difíceis vividas durante a Guerra Civil americana. 
Vez ou outra se torna necessário voltar no tempo para compreender as razões das atitudes das quatro irmãs March. 
Foi adaptado diversas vezes para o cinema e ultimamente recebeu o título de Adoráveis Mulheres.
Uma boa leitura!


domingo, 2 de fevereiro de 2020

Retomando as leituras: Mulheres sem nome.


 

















Mulheres Sem nome é o primeiro romance de Martha Hall Kelly, publicitária dedicada à pesquisa sobre fatos da Segunda Guerra Mundial.
Baseado em fatos reais e com  pitadas de ficção descreve a historia de "3 mulheres ligadas por uma guerra, historias de coragem e redenção que atravessam continentes". Um belo romance que inclui a revelação de atrocidades da segunda Guerra Mundial!
A pergunta que é feita após o término da leitura:
"Até onde você iria para honrar a vida daqueles que foram esquecidos?"

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Philippa Gregory volta ao Tolfices com A Princesa Branca.

Concluída a leitura de mais um livro de Philippa Gregory, A Rainha Branca foi presente de aniversário do filho Eduardo sabedor do meu interesse nestas histórias.
 Philippa Gregory é Ph.D. em Literatura do século XVIII e autora de outros livros como A Rainha Vermelha, A senhora das águas e a Irmã de Ana Bolena. Alguns destes títulos já deram origem à séries de cinema e televisão. 
A Rainha Branca é mais um livro que relata um período da história da Inglaterra, disputa cheia de traição e conluios entre os membros das casas York e Tudor. 
Um texto que mescla fatos e ficção de forma a cativar o leitor do começo ao fim. Vale a pena a leitura para quem como eu se encanta com as histórias da Idade |Média.

sábado, 23 de março de 2019

De volta às postagens por aqui.



Pôxa, não tinha me dado conta de quanto tempo fiquei sem postar aqui. Desde junho de 2018! É muito tempo!Fiquei todo este  tempo sem postar mas não sem ler. Li pouco mas li.
O perfume da folha de chá de Dinah Jefferies foi o que indicou-me um livreiro, fui pela sugestão e, confesso, demorei a mergulhar na história. O perfume da folha de chá traz a história que se passa em 1920, durante o qual" Gwendolyn Hooper tem um futuro considerado promissor para as mulheres de então".
Resultado de imagem para dinah jefferiesA autora Dinah Jefferies nasceu na Malásia e desde os nove anos morou na Inglaterra. Artista plástica, Perfume das folhas de chá é seu segundo livro.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Maio, junho e julho.Chega né?

Foram 3 episódios de gripe até que no terceiro o médico optou pelo Tamiflu devido aos sintomas relatados. Parece que de agora em diante as coisas tendem a melhorar. como já havia falado na postagem de maio, sempre se pode aproveitar para fazer algo de produtivo. Como não saí muito de casa, tratei de colocar algumas coisas em dia - documentos, roupas, descartes e leituras.
A leitura do "Destino la Tempranza" deixou um gostinho de quero mais e fui atrás de mais títulos de Maria Dueñas : "O tempo entre costuras" com um viés romântico o relato do envolvimento de uma romântica garota envolvida e abandonada por um galante aventureiro que se vê às voltas com espionagem ao mesmo tempo em que se transforma numa modista de renome entre Madri e Marrocos. Gostei muito!
Perseguindo Maria Dueñas, leio agora "A melhor história está por vir", história que liga Estados Unidos e Espanha - pesquisa, romance, preconceito e jogo de interesses e vamos ver no que vai dar.

"María Dueñas Vinuesa é uma escritora espanhola. Ficou famosa em 2009 com O Tempo Entre Costuras, seu primeiro livro, que se converteu numa das obras mais vendidas da literatura espanhola nos últimos anos. ... Wikipédia
Nascimento: 1964 (idade 54 anos), Puertollano, Espanha

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Convalescença e leituras.

Mês de maio foi um mês difícil, mas também sei que há dificuldades muito maiores do que enfrentar uma gripe que se não foi a Gripe A andou muito perto dela. Surpreendida com os sintomas antes de ter se iniciado a campanha de vacinação tive que permanecer em casa e em tratamento durante praticamente todo o mês. Salvaram-se os 7 primeiros dias de sintomas mais amenos, afora estes, os demais foram de muita tosse e coriza produtiva ( aprendi que é assim que médicos chamam quando a gente produz secreção kkk).
Como tudo tem seu lado não tão ruim, valeram-me os dias de convalescença para ler mais dois títulos: La templanza e O melhor de mim.
"Destino La Templanza" de María Dueñas,presente do filho Eduardo pelo Dia das Mães, é um romance que se desenrola nos anos 1900 entre México, Cuba e Espanha relatando riquezas, falências, intrigas, amores e grandes negócios. Leitura boa de se fazer e conhecer um pouco dos costumes populares e aristocráticos da época. Recomendo.
"O melhor de mim" é de Nicholas Sparks, não foge ao estilo, envolve amores, ódios, distâncias, reencontros mas não tem a pretensão de ser histórico até porque é atual, e traz um final emocionante que não relato pois pode ser que alguém tenha interesse em lê-lo. Adquiri este na Feira do Livro de Santa Maria juntamente com o "Poesia com rapadura" do Braulio Bessa, uma coletânea de cordeis deste destaque da cultura nordestina.
Então vale a máxima: "se te derem um limão, faz dele uma limonada."
Evidentemente que não vou esperar adoecer novamente para fazer disto um motivo para ler bons livros.